Vaginismo

A sexualidade e suas manifestações constituem alguns dos temas mais complexos do comportamento humano e seus distúrbios são encontrados na sociedade, sendo mais prevalente em mulheres que em homens. O sucesso de uma união entre casais depende em grande parte da relação sexual e da satisfação dos desejos sexuais. O desconhecimento da necessidade sexual de um ou de ambos os parceiros leva a muitos relacionamentos desfeitos, sofrimentos e dificuldades interpessoais.

Uma das disfunções sexuais mais encontradas nas mulheres é o vaginismo. Caracteriza-se pela relação sexual impossível ou extremamente dolorosa para a mulher devido a espasmos de músculos vaginais quando da tentativa de penetração. Este problema pode ser primário, quando a dificuldade existe desde o início da atividade sexual, ou secundário, quando o vaginismo começou após um período de funcionamento sexual satisfatório.

As causas para este problema envolvem desde componentes biológicos aos psicossociais. Desta forma, todas as causas físicas devem ser investigadas, tais como dores, inflamações, infecções ou traumas, pois podem contribuir para causas psicológicas.  O vaginismo é considerado um distúrbio psico-fisiológico, devido ao medo real ou imaginário de experiências negativas com penetração e/ou patologia orgânica. Além disso, observa-se que algumas mulheres com vaginismo não tiveram uma educação sexual adequada.

É importante considerar fatores como estresse, ansiedade e insatisfação sexual no aparecimento deste distúrbio, assim como a falta de comunicação entre os parceiros na expressão dos sentimentos e pensamentos os quais são fundamentais para uma relação sexual saudável.

Considerando as diversas abordagens psicológicas, o tratamento para o vaginismo inclui tanto o aconselhamento breve, para aqueles casos que não são tão graves, compreendendo educação e orientação sexuais, quanto a terapia sexual. Esta última é indicada principalmente para os casos em que o problema é de longa duração (meses), quando os esforços do casal em resolver o problema por conta própria não tiveram nenhum efeito e quando o transtorno é mantido por fatores psicológicos.